[Resenha] Brasyl - @SDE_Brasil

07 dezembro 2015

Nome: Brasyl
Autor: Ian McDonald
Páginas: 416
ISBN: 9788567296296
Editora: Saída de Emergência
Ano de lançamento: 2015
Comprar: Amazon, Fnac


Três personagens. Três histórias. Três brasis. Ligados através do tempo, do espaço e da realidade.
Marcelina é uma produtora de TV que sai pelas ruas do Rio em busca do sucesso que lhe trará a fama. Quando uma ideia para um programa a faz rastrear o mais infame goleiro do futebol brasileiro, ela se envolve em uma antiga conspiração que ameaça não só a sua vida, mas também a sua alma.
Edson é um empresário de celebridades tentando sair das favelas de São Paulo em um futuro não muito distante. Um encontro inesperado o faz cair no mundo perigoso da computação quântica. Agora, sem ter para onde fugir em um Brasil em que cada rosto e centavo são rastreados, ele precisa salvar a própria pele.
Padre Luis Quinn é um missionário jesuíta que vasculha as profundezas da Floresta Amazônica do século XVIII em busca de um padre renegado que tenta estabelecer um império. Mas o que ele encontra ali põe em xeque a sua fé e a própria realidade.

Brasil, 1732, o padre Luis Quinn chega ao país em missão oficial para encontrar um missionário que pode ter abandonado seus votos no coração da amazônia. Rio de Janeiro, 2006, a produtora de TV Marcelina Hoffman está a procura de uma nova ideia para um reality show. Viciada em cirurgia plástica e praticante de capoeira, ela está prestes a se envolver em um caso muito maior quando começa a perseguir o goleiro da seleção brasileira de futebol de 1950. São Paulo, 2032, Edson de Freitas é um caçador de talentos, um empresário que fez sua carreira sozinho. Quando seu irmão o envolve em um pequeno roubo eles precisam da ajuda de uma tribo de quantumeiros (hackers que usam tecnologia de computação quântica) para desativar o rastreador e Edson conhece Fia, que mudará sua vida definitivamente.

Estas três histórias completamente diferentes no espaço e no tempo convergem de maneira bastante inesperada. Por trás de toda a narrativa e da construção dos personagens foi preciso primeiro uma ideia muito clara do funcionamento da física quântica e da aplicação da entropia, por isso a narrativa vai se desdobrando em camadas, conforme primeiro se apresentam os personagens e suas características, evoluindo para suas interações com o cenário e por fim o grande elo que os une é desvendado. Essa descoberta gradual mantém a tensão do leitor.

Ian McDonald pesquisou a história e os costumes dos brasileiros para aplicar em sua ideia de ficção científica embasada principalmente na física quântica. A história é universal em sua raiz, poderia se passar em qualquer outro país para ter o tempero exótico que o autor buscava, para nós faz toda a diferença que o Brasil tenha sido escolhido. A cultura umbanda, da capoeira e da malandragem brasileira são exploradas e inseridas no contexto, evidenciando um trabalho de pesquisa impressionante.

A escrita é um pouco inconstante, varia de genial ao prosaico. Principalmente nos capítulos que se passam em 2032, alguns trechos parecem ter sido escritos por autores diferentes. Estes surtos de genialismo só ressaltam o talento do autor, mesmo que tenha que abrir mão de seu estilo mais refinado para desenvolver o enredo com mais facilidade.

A edição da Saída de Emergência vem com o mesmo padrão dos demais livros da editora, com pouquíssimos erros de digitação e a tradução do experiente Fábio Fernandes, toda a equipe está de parabéns. Destaque negativo para a montagem da capa, onde é perceptível que um número pequeno de prédios foi copiado e colado ao longo de toda a paisagem do Rio. Destaque positivo para a mesma capa por ter uma foto no mesmo ângulo na contracapa da época do Brasil colônia, completamente de acordo com a proposta do enredo.

Outro ponto a favor é a sutil diferença de cada capítulo: os três pontos diferentes da narrativa tem sua própria fonte e pequenas diferenças na diagramação. Em 1732 foram inseridas imagens de dobras e manchas, para simular um manuscrito, a fonte usada também é um pouco diferente das demais e a numeração das páginas é na lateral da páginas, facilitando o reconhecimento imediato em qual período se passa cada capítulo.

De brinde, no fim do livro consta o primeiro capítulo de "A filha do Império", primeiro volume da série "A saga do Império", de  Raymond E. Feist!


Este livro foi uma cortesia da editora Saída de Emergência!


Um comentário:

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!