[Resenha] O Reino Secreto de Todd - @Novo_Conceito

06 maio 2015
Nome: O Reino Secreto de Todd
Autor(a): Louise Galveston
Páginas: 256
ISBN: 9788581635651
Editora: Novo Conceito/Selo #Irado
Ano de lançamento: 2014
Comprar: Saraiva

O reino secreto de Todd - COMO FOI QUE ELE SE TORNOU UM DEUS POR ACIDENTE?
INGREDIENTE A: meias esportivas muito usadas
INGREDIENTE B: imundicie do GRANDE e Poderoso TODD (em pessoa)!
INSTRUÇÕES: deixar embaixo da cama por meses e meses. NÃO ARRUMAR O QUARTO
Mas atenção! Quando o valentão da escola, Max Loving, coloca em risco o futuro da minúscula civilização toddliana, Todd terá que fazer tudo o que estiver ao seu alcance para salvar essa raça que ele mesmo criou sem querer.
Perfeito para os fãs de livros de aventura que saem da mesmice, O REINO SECRETO DE TODD vai fazer você rir bem alto. Descubra o que acontece quando você deixa a roupa suja jogada no chão...

Bem, a principio é necessário falar que "O Reino Secreto de Todd" é muito diferente do que eu imaginava ao olhar sua capa (é, até os leitores ávidos conseguem julgar um livro por sua capa), mas vou tentar explicar o porque  de uma maneira resumida e o mais fiel possível ao livro e seus personagens.

Todd Galveston Butroche é um menino de 12 anos, mora em Boston, estuda na escola secundária de Wakefield, é fã do desenho "Dragon Sensei", no inicio do livro possui apenas dois amigos (Duddy e Lucy) e é o principal narrador do livro (digo principal pois o livro possui narrativa compartilhada). As coisas seriam bem simples se resumir apenas nesse ponto, mas Todd é o anti-herói mais jovem que eu já vi (ou melhor já li), o personagem é bagunceiro, imaturo e com um caráter (ou melhor a construção de um caráter) duvidoso, quero aqui deixar claro que Todd não é malvado (na verdade ele esta longe de ser esse tipo) mas é conformado (com o que for mais cômodo no momento) e muito irresponsável.

E diante de todos estes atributos, e de um quarto muito bagunçado, Todd encontra uma civilização de humanoides (mais conhecidos como Toddlianos) vivendo em uma meia suja embaixo de sua cama, e para completar ele é visto como uma divindade responsável por estes humanoides. Diante disso, Todd pede “socorro” para a sua vizinha nerd Lucy, mas as coisas ficam um pouco mais complicadas quando o menino mais “malvado” da escola de Todd, Max Loving, resolve ser amigo dele. A partir desse ponto o mundo de Todd se transforma, ele precisa ter decisões importantes sobre se quer ser popular na sua escola ou continuar sendo melhor amigo de Duddy e brincar de Dragon Sensei, além deste tipo de decisão ele precisa aprender a ter responsabilidade e as vezes se arriscar em prol de outras pessoas.

Todas essas aventuras (e diga-se de passagem aprendizado) acontece no livro de uma maneira irreverente e criativa. Mas sinto em informar que esta resenha até agora não representa um terço de tudo o que o livro possui, e seria uma injustiça absurda se eu não desse o devido destaques para alguns fatores positivos do livro. Então vamos aos fatores:

  • Ciências, ciências e um pouco de história: No inicio da resenha falei que o livro é inteligente, e ele de fato É! Para começar os humanoides/Toddlianos não são fruto da imaginação e nem nasceram a partir de mágica, eles vieram a vida basicamente pela mesma teoria da criação espontânea (é fantástico a lógica disto)! E sem contar que durante todo o decorrer do livro encontramos referencias a comprovações científicas, fatos históricos e breves citações de Winston Churchill e Shakespeare. Sem mencionar que os nomes dos Toddlianos são referencias diretas como Lewis, Persefone e Herman.
  • A era das mulheres: Algo que posso afirmar com louvor é sobre as personagens femininas do livro, elas possuem uma personalidade forte, são espertas, inteligentes e destemidas. Elas quase se tornam as grandes heroínas do livro, dando de mil a zero em várias personagens “sem sal” que encontramos em livros adultos.
  • Meu malvado favorito: O livro começa e termina com Max Loving muito bem definido como vilão, porém em nenhum momento (ou quase nenhum) ficamos com raiva dele; é uma sensação até estranha pois ele faz coisas erradas com os outros personagens o tempo inteiro. Mas acho que é impossível não gostar dele, ele sabe que faz coisas erradas e acredita que não existe nada de mais nisso (é quase um direito dele), e além disso em muitas frases ficamos com a impressão de que esta foi a criação que ele recebeu de seus pais. É uma complexa relação de amor e ódio com esse personagem, mas vai entender...

Enfim, o livro é um prato cheio para quem gosta de estórias de aventura e um toque de humor, como o alvo principal para esta leitura é o infantil, o livro nos surpreende por possuir uma estrutura bem trabalhada (começo, meio e fim), personagens coerentes e bem construídos e uma pegada inteligente, que faz um leitor de qualquer idade desenvolver uma leitura leve e fluida. Acredito que já tenha escrito demais, espero que tenham gostado e leiam esse livro assim que puderem (e se você já o leu adoraria saber a sua opinião), mas sem preconceitos, apenas aceite a realidade do livro como a realidade de uma criança de 12 anos.

Esse livro foi uma cortesia da editora.

7 comentários:

  1. Oi Adriane, tenho gostado muito dos títulos do selo #irado, e do cuidado da editora na parte gráfica, sempre caprichando. Este eu ainda não li, mas com certeza está na lista.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Esse título da novo conceito é surgiu agora? Nunca ouvi falar...

    Eu gosto de livros infantis, pois embora infantis tenho quase certeza que sempre quem gosta mais são os adultos :P

    Um abraço,
    Elder F.
    oepitafio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    eu não conhecia o livro e achei muito interessante, como você mesma falou, escreveu tanto mas não falou nem um terço do que o livro realmente é, então acredito que ele seja muito bom, pois só pela sua resenha fiquei interessada em ler, faço ideia, ou melhor não faço ideia rsrs, de com deve ser o livro na íntegra!

    ResponderExcluir
  4. Oi Adriana, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha, e realmente, as vezes a gente julga o livro pela capa, e acabamos nos surpreendendo. Achei a história bem inteligente e madura em determinadas partes... gostei de saber que o Todd não é aquele personagem perfeito e gostei de saber das mensagens que o livro nos trás.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  5. Oi, Adriane! Como vai?
    Admito que também julguei o livro pela capa. Pensei que fosse tipo Lucas - Um Estranho no Formigueiro ou algo do tipo, porque essa é a impressão que dá. Maaaas acertei na parte de ser infantil, quer dizer... cara, é infantil e só uma pessoa idiota não pensaria isso - desculpe se eu ofendi alguém ou sei lá, só é. A história me lembrou, em partes, Horton e o Mundo dos Quem, filme infantil que eu gosto bastante. Em outras partes, não. Parece ser um livro legal e, apesar de não estar na minha lista de prioridades, espero muito ler algum dia. Adoro livros com ótimos ensinamentos <333 E eu quero saber se esse Max é mesmo inodiável (???), porque eu sempre tenho um nojinho, pelo menos, do "vilão".
    Beijinhos,
    Karol.
    www.heykarol.com

    ResponderExcluir
  6. Olá!!!
    ainda não li nenhum livro desse selo da NC mas, como eu gosto de livros mais infantis também acho que eu poderia gostar da historia, pretendo ler muito em breve ;) adorei sua resenha ;) beijão.

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!