[Resenha] O Duque e Eu - @editoraarqueiro

15 julho 2015

Nome: O Duque e Eu - Os Bridgertons Livro I
Autor(a): Julia Quinn
Páginas: 288
ISBN: 9788580411461
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2013
Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida. 

Quando a Fernanda me deu esse livro eu faltei chorar de emoção, mas ela disse que eu terei de resenhar, então, foi quase como “MEU MUNDO CAIUUUUUUU”. Apesar de já ter feito resenhas, não é minha atividade favorita, no entanto, falar sobre O duque e eu, torna tudo mais colorido e feliz.

A nível de introdução, essa resenha está vindo completamente atrasada, então leiam e confiram as outras que fiz da série aqui, aqui, aqui e aqui, na ordem certa. E sem mais delongas, vamos ao meu ex-gago favorito, Simon Basset.

Simon foi um filho muito esperado, e sendo homem, era mais do que festejado seu nascimento, agora o ducado não se perderia. Mas a alegria logo se extinguiria, não só pelo fato da mãe do menino ter fugido com o amante, como também por Simon ser gago. Então vocês já devem imaginar com a infância dele foi difícil, solitária e infeliz.  Pensem num pai que acha que seu filho é filho do demônio e ainda deixa isso bem claro para a criança, e você terá o pai do Simon.

Enquanto isso, Daphne foi a quarta filha de uma família de oito filhos, cujos pais nunca confundiam os nomes e nem quais eram os mais velhos e mais novos, seus nomes seguem uma ordem de A à Z através da ordem de nascimento.  Não sei se acho essa ideia mega criativa ou tosca rs. Assim, quanto a sua infância, tirando a morte prematura do pai, Daphne não tinha do que reclamar. 

"Os Bridgertons são, sem dúvida, a família mais fecunda nos escalões superiores da sociedade. Tal diligência por parte da viscondessa e do finado visconde é elogiável, embora se possa chamar apenas de banal a escolha dos nomes de seus filhos. Anthony, Benedict, Collin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth - a ordem, claro, é benéfica em todas as coisas, mas é de se pensar que pais inteligentes sejam capazes de manter os filhos na linha sem necessidade de ordenar os nomes pelo alfabeto."

Eis que o tempo passa, e nossa mocinha debuta (era quando as moças em idades de casar eram apresentadas a sociedade), no entanto, depois de quatro temporadas Daphne ainda não conseguiu um casamento, e isso não se dar pelo fato de que talvez ela não seja bonita, a questão é que ela sempre é vista como a amiga, a confidente, essas chatices todas que só quem já passou sabe como é.  Então quando o amigo do seu irmão propõe que eles finjam ser um casal para ele se livrar das mães que querem casar suas filhas, e para mostrar para os caras o que eles estão perdendo ao só verem a Daphne como amiga, é claro que ela aceita. Óbvio que o amigo do irmão é o Simon e a maneira que eles se conhecem é maravilhosa, além de já rolar um clima. Esse povo não perdia tempo.

"E foi então que uma ideia lhe veio à mente. Uma ideia estranha, louca e espantosamente maravilhosa. Talvez perigosa também, já que o obrigaria a estar na companhia dela por longos períodos de tempo, o que com certeza o deixaria numa condição permanentemente de desejo não realizado, mas Simon valorizava seu autocontrole acima de tudo, e tinha certeza de que poderia conter seus anseios básicos." 

Antony, o irmão mais velho e chefe da família não gosta nada disso, e vai aceitando o "relacionamento" da irmã muito a contra gosto, e quando pega os dois em uma situação constrangedora vê ai a oportunidade perfeita para fazer o que a tanto se segurava, dar uma boa surra em Simon, mas como não se brincava com a honra virginal, surra seria pouco, ele chama o mocinho para um duelo, estamos falando de um romance de família, então é claro que depois de muito drama, e disse me disse, tudo fica resolvido, segredos são trocados pelos enamorados, lágrimas são derramadas, socos são distribuídos, mais drama, nada de mortes e finalmente casamento.

Todas as cenas com a família são hilárias e tem muitos momentos de vergonha alheia, entretanto, o que me cativou mesmo, foi como aos poucos a Dafne vai penetrando no coração amargurado do Simon e como eles vão construindo o caminho para o coração um do outro. E vão aprendendo e ensinando coisas um para o outro também, como por exemplo, o Simon explicando para a Dafne o que acontece com um homem e uma mulher na noite de núpcias, o homem quase teve um treco, e coitada da mocinha, as explicações das mães nunca eram boas e elas não tinha internet para dar uma pesquisada.

"Violet soltou uma risada nervosa.
- Eu me esqueci de mencionar a parte sobre o bebê?
- Mamãe!
- Muito bem. Os seus deveres conjugais... quer dizer, a consumação... é como se fazem os bebês.
Daphne se apoiou na parede.
- Então a senhora fez isso oito vezes?
- Não!
Daphne ficou confusa. As explicações da mãe estavam sendo vagas demais, e ela ainda não sabia exatamente o que eram os tais deveres conjugais, mas alguma coisa não estava batendo." 

Esse é um livro super fofo e simples de ler, já perdi as contas de quantas vezes reli, e mesmo na sua simplicidade, a história te encanta e emociona.

Sendo uma das minhas séries favoritas, não indica-la seria impossível.  Por mim, todo mundo devia ler esse livro, se não for para ficar arrebatada como eu, pelo menos para passar um delicioso fim de semana.

"-Sim, tenho que fazê-lo - insistiu ele. - Eu... - Mas não pôde encontrar as palavras. Tinha muitas emoções em seu interior, muitos sentimentos ao mesmo tempo. - me deixe demonstrar isso - disse, com voz rouca-. me deixe lhe demonstrar o muito que quero a você."
LEIA A RESENHA DOS OUTROS LIVROS DA SÉRIE "OS BRIDGERTONS"

Esse livro foi uma cortesia da editora.


16 comentários:

  1. Esse livro tem uma história apaixonante, tanto é que eu me tornei uma grande fã dessa série de livros da Julia Quinn. Mal posso esperar pelo sexto que vai sair em agosto e bem que eu queri ir na Bienal de Livros desse ano que vai ter no Rio de Janeiro para conhecer a autora!

    Bjs e sucesso com o blog!
    http://escritorawhovian.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou mega fã da Julia Quinn.
      E o sexto livro não é meu favorito, agora o sétimo é amorrrrr demais.

      Excluir
  2. Hullo!
    Eu ainda não li nem esse, nem nenhum livro do gênero, mas estou desejando muito, principalmente agora que estou por dentro do que se trata o livro!
    Beijos.
    Blog Girl Heart Books ♥

    ResponderExcluir
  3. Oie!!
    Sempre vejo esse livro e os outros nas livrarias e youtubers, mas não sei se é um gênero que vai me agradar muito... Acho que é por isso que enrolo tanto para ler! haha
    Adorei a resenha!
    Beijos

    www.notavelleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou suspeita para falar, mas a história é muiiiiiito boa e bem construída. Tenta ler o primeiro e vê o que acha.

      Excluir
  4. Não conheço o livro e nem a série, mas a capa não me é estranha.

    A história não faz muito meu estilo, mas você gostou tanto que chego a considerar abrir a mente e experimentar... Já fiz isso com os livros da Ward uma vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ward minha diva, amada, adoroooooo
      De uma chance para a Julia, uma ótima escritora tb.

      Excluir
  5. Olá!
    Os livros da Julia Quinn são muito amor! Lembro de ter gostado bastante de O Duque e eu e me encantado com Simon <3, mas o meu livro predileto da série é O Visconde que me amava.

    Beijos! Ótima resenha!
    Espero sua visita =)
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Romance de época não fax muito meu genero, mas esse já esta na minha lista a algum tempo e com sua resenha fiquei com mais vontade ainda de lê-lo.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Romance de época não é um tipo de livro que gosto de ler, mas vejo que eles estão fazendo muito sucesso. Fico feliz por isso. Algum dia irei tentar ler um, qualquer coisa te aviso kkk

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu já li esse livro faz algum tempo, mas nunca me esqueço dos personagens.
    Daphne é uma mulher forte e decidida, Simon foi um pouco grosso com ela, mas entendi os motivos dele. Ele também tem um charme e tanto. A Julia Quinn escreve muito bem e em breve vou ler os outros livros da série.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Aiaiaiai, estou com esse livro na estante, mas totalmente atrasada com a fila de leitura então não consegui lê-lo até agora. Pretendo fazer isso o quanto antes ;)

    xoxo
    http://www.amigadaleitora.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem??

    Sempre vejo resenhas sobre essa coleção e tenho muita vontade de ler... Só essa capa que não me chama tanto a atenção, mas acho que ela combina bastante com o enredo. Adorei tudo que você falou sobre o livro! Sou apaixonada por romances fofinhos hehehe

    XOXO
    Umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Tenho esse livro aqui a tempos pra ler mas nunca leio
    Agora vendo 5 estrelas claro que estou super curiosa
    Adoro romances de época e sabendo que esse é facil de ler
    Com certeza vou ler nesse final de semana
    Amei sua resenha
    http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Taiany.
    Tenho uma dívida com a Julia Quinn por ter me feito gostar de romances de época, antes eu achava que não ia conseguir ler porque tinha odiado Orgulho e Preconceito. Falta ler o último lançado, mas até o 4º eu adorei. Esse é o segundo preferido (perde pro Colin). Adoro também as cenas da família, queria ter uma igual.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!