[Resenha] Benefício na morte - @editorarecord

20 junho 2015

Nome: Benefício na morte
Autor: Robin Cook
Páginas: 390
ISBN: 9788571237759
Editora: Record
Ano de lançamento: 2015
Comprar: Saraiva, Livraria Cultura

Em Benefício na morte, Robin Cook está de volta com mais uma história eletrizante envolvendo pesquisas científicas sem precedentes e questões éticas na medicina, ambas sujeitas à ação maligna de pessoas gananciosas e sem escrúpulos.
Pia Grazdani é uma estudante de medicina de inteligência excepcional. Em estreita colaboração com o geneticista molecular Dr. Tobias Rothman, da Universidade Columbia, ela trabalha na pesquisa que tenta criar órgãos de reposição para pacientes crônicos, o que poderia revolucionar a saúde pública. Através desse estudo, Pia espera ajudar milhões de pessoas. Porém, quando o laboratório vira palco de uma tragédia, Pia se vê obrigada a interromper suas pesquisas e começa a investigar, com a ajuda de um colega de turma, o que teria causado o desastre no laboratório de biossegurança.
Enquanto isso, dois gênios de Wall Street pensam ter achado mais uma mina de ouro na multitrilionária indústria de seguros de vida, e concentram todos os seus esforços na tentativa de manipular dados atuariais e securitizar apólices de seguro de vida de idosos e doentes crônicos – uma fonte potencial de fortunas incalculáveis.
Quando Pia e George investigam mais a fundo, uma pergunta começa a rondá-los: será que alguém estaria usando informações de seguros de vida particulares para permitir que investidores se beneficiem da morte de terceiros?

Se você já entrou em um sebo pelo menos uma vez na vida, deve conhecer Robin Cook pelo nome. Seus livros mais antigos "Coma", "Febre", "Cérebro", entre outros,  tiveram edições com tiragem de milhares de exemplares quando o autor era muito popular a partir dos anos 1980. Depois de mais de 30 anos, ele continua ativo e escrevendo sobre o que mais entende: medicina. Benefício na morte parece ter sido inspirado pela trilogia Millenium, de Stieg Larsson, apesar do estilo de escrita de Robin Cook ser mais parecido com o de Sidney Sheldon.

Três histórias separadas são apresentadas em sequência já no começo do livro:

Na primeira, dois albaneses tem que fugir da Rússia às pressas depois de negociar material radioativo ilegalmente.

Depois, Pia Grazdani é apresentada como uma órfã e estudante de medicina da Universidade de Columbia. Ela tem diversos problemas de comunicação e socialização. Acaba trabalhando com pesquisa no laboratório do Dr. Rothman, vencedor do prêmio Nobel por sua pesquisa sobre salmonela. Ele está nos últimos estágios da pesquisa que visa criar órgãos a partir de células tronco do próprio paciente, o que ajudará milhões de pessoas em todo o mundo, gerando órgãos substitutos que não apresentarão rejeição.

Por último, os investidores Edmund e Russell, que ganharam milhões de dólares durante a crise imobiliária de 2008, comprando e vendendo títulos sem valor algum, o que culminou na quebra do banco Lehman Brothers (eventos reias aqui manipulados para encaixar na trama). Milionários e em busca de novos investimentos, eles abrem a própria empresa, a Life Deals Inc., para comprar apólices de seguros de vida de idosos por uma fração do que elas valem. Amparados por dados históricos analisados pela melhor consultoria estatística do país, o negócio parece ser a prova de falhas. Isso levando em conta que os idosos continuem morrendo e quanto antes, melhor. Mas se alguma nova descoberta fosse publicada, digamos algo que pudesse aumentar a expectativa de vida (algo como órgãos para transplante), esse investimento de milhões de dólares poderia ficar comprometido, e isso eles não podem permitir.

Só pela apresentação das histórias principais, em menos de 100 páginas já se adivinha qual será o desenrolar da narrativa. Eu apreciaria um pouco mais de suspense. Robin Cook não escreve para o leitor se perder em introspecções: seu texto é direto, muitas vezes técnico (mas sempre acessível) e apesar dos personagens serem bem descritos, suas emoções são superficiais e previsíveis. As páginas voam e o livro parece bem menor, apesar de ter quase 400 páginas a leitura é bem semelhante a uma novela.

A capa e o título foram bem escolhidos, combinando tanto com livros anteriores do autor como com o conteúdo da narrativa. Como curiosidade esse é o título mais longo já usado em um livro do Robin Cook, que parece ter evoluído de uma palavra ("Crise", "Cura", "Vírus"), para duas (no original, "Benefício na morte" se chama "Death Benefit"). Imagino que um dia ele lançará um livro que tenha três palavras no título, será o ápice da carreira.

A qualidade da edição é excelente, como na maioria dos livros da Record: o tamanho grande do livro, com papel de boa qualidade, fonte confortável, tudo para deixar o leitor mal acostumado. Encontrei alguns erros de digitação irrelevantes, nada fora do normal.

Para os fãs do autor, é um prato cheio. Para quem ainda não o conhecia, pode valer a pena procurar os livros antigos e descobrir porque ele faz tanto sucesso.



Este livro foi uma cortesia da Editora Record.


5 comentários:

  1. Olá!
    Nunca tinha ouvido falar do autor nem do livro, mas já quero esse livro! Adorei a premissa policial e dramática que ele tem e já fiquei ansiosa para ler. Adorei sua resenha.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca tinha ouvido falar nesse autor , mas confesso que quando vi esse livro nas news da record eu fiquei bastante curiosa , mas esperava uma coisa e pela sua resenha acho que não é muito bem o que eu esperava . Então provavelmente eu leia o livro , mas não agora hahaha .

    Beijos ,Anna

    www.amigadaleitora.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Jairo!
    Não me lembro de ter lido nada do Robin, mas é um autor que pretendo conhecer ainda esse ano. Tenho uma amiga que leu esse livro e gostou muito, estou bem inclinada em começar a minha leitura por esse livro, parece bem interessante!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  4. Vou ser bem sincera, nunca tinha ouvido falar de Robin Cook,o que é uma pena. Mas fiquei bem curiosa em conhecer mais sobre ele e seus livros.

    abraço,
    Camila

    http://bloguicesdacamila.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu não conhecia o livro, nem o autor. Parece ser uma história muito legal. Não é o gênero que costumo ler, mas assim que puder vou dar uma chance.
    Adorei a resenha.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!