11 março 2015

[Resenha] Querida Sue - @editoraarqueiro

Nome: Querida Sue
Autora: Jessica Brockmole
Páginas: 256
ISBN: 9788580412635
Editora: Arqueiro
Ano de Lançamento: 2014
Comprar: AmericanasSubmarino

Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante
universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor.
Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas.
Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.

A história de "Querida Sue" se passa em duas épocas históricas, 1912 e 1940, anos respectivamente da Primeira e Segunda Guerra Mundial. Em 1912 através de cartas escritas pelos personagens, conhecemos David e Espelth. Em 1940, também através de cartas conhecemos, principalmente, Margaret (filha de Espelth) e Paul.

Espeth, uma jovem poeta, vive em sua ilha, Skye na Escócia, e nunca viajou para fora deste lugar. Um certo dia ela recebe uma carta de um fã americano, David, ela o responde e assim vai formando uma grande amizade,  recebendo e mandando cartas. E aí sem eles saberem, nasce o amor, mas havia um problema, Espelth era casada.


Já em 1940, Margaret descobre que está apaixonada pelo seu amigo Paul, que está servindo para a guerra, e eles se comunicam por cartas, é claro. Margaret também tenta descobri, assim como ela chama, "o primeiro volume da biografia de sua mãe", ou o passado de Espelth, pois não sabe quem é seu pai, como foi que ela nasceu, onde, etc.

Acontece sérias coisas no passado que impossibilita que Espelth fique com David, mas o amor continua, o amor que nem duas guerras pode terminar. Mas quando uma bomba é lançada pelas redondezas de sua casa, Margaret vê uma carta de um certo David para sua mãe, e isso despertou em Elspeth o amor e a vontade de reencontrar David, e sai em busca da sua verdadeira paixão.


" A guerra é impulsiva, não passe o resto da vida procurando fantasmas"

E assim a história vai se alternando, um capítulo é sobre Espelth, outro sobre Margaret e assim por diante, mas são todos narrados por cartas, e eu adorei isso, gosto muito de cartas, principalmente as que são escritas a mão.


Eu gostei muito do livro, por tratar também de um outro assunto que me interesso e gosto bastante, as Guerras Mundiais, e isso me conquistou de uma maneira que eu não esperava, por ser um romance e isso não é bem a minha "praia", mas sempre há exceções. O livro está recomendado, peço para os que não leram, que leiam, porque "Querida Sue" vai te conquistar do começo ao fim. E aos que leram, deixe suas opiniões aí nos comentários!

Esse livro foi uma cortesia da editora.

8 comentários:

  1. Nunca li mas ja me falaram bem desse livro...vou ver se acho pdf dele *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você vai gostar, pode ler sem medo ;)
      Obrigado por comentar!!

      Excluir
  2. Não conhecia esse livro, mas pareceu interessante! Gostei de saber que te conquistou, mesmo não sendo muito sua praia :)
    Parabéns pela resenha!
    bjs

    http://pelegrinieasociedadedoanel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente me surpreendeu, recomendo!
      Obrigado por comentar!
      Até mais!

      Excluir
  3. OLá,

    Eu sou historiadora e amo assuntos relacionados a essas epocas.
    Esse livro me pareceu muito bom, a maneira que você escreveu me fez interessar.
    Não sei se no livro fala mas fiquei muito curiosa em saber o porque Espelth não fica com David.
    Ótima resenha!

    Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, por tratar de assuntos históricos acredito que você vai gostar, não vou falar o porque de eles não terem ficado juntos, pois seria um spoiler, só lendo para saber não é? hahaha
      Obrigado por comentar, até mais!

      Excluir
  4. Eu já vi algumas resenhas desse livro e todas foram muito boas
    Tenho bastante curiosidade em relação a esse livro
    Principalmente por ser em um período de guerra, um tema que me chama bastante atenção
    Já estou seguindo ;)

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Sempre tive muita vontade de ler este livro, e depois desta resenha fiquei com mais vontade ainda, vai para a minha lista de próximas leituras.

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!