17 outubro 2014

[Resenha] Todo Dia - @galerarecord

Nome: Todo Dia
Autor: David Levithan
Páginas: 280
ISBN: 9788501099518
Editora: Galera Record
Ano de Lançamento: 2013
Comprar: Saraiva

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

 Por 16 anos, A , um ser humano que não tem sexo definido, habita um corpo diferente a cada dia que passa, e pode ser o corpo de menino, menina, gordo, magro, negro, branco, gay, lésbica e etc. Mas todos tem a mesma idade que ele (a editora usou artigo masculino para identificar o personagem), sendo assim a única coisa em comum entre ele e os hospedeiros. A, não tem pais, amigos, parentes, nenhuma pessoa com quem conversar, nenhum relacionamento amoroso e principalmente, nenhuma forma física.
"Acordo. Imediatamente preciso descobrir quem sou. Não se trata apenas do corpo - de abrir ps olhos e ver se a pele é clara ou escura, se meu cabelo é comprido ou curto, se sou gordo ou magro, garoto ou garota, se tenho ou não cicatrizes. O corpo é a coisa mais fácil à qual se ajustar quando se está acostumado a acordar em um corpo todas as manhãs. É a vida, o contexto do corpo, que pode ser difícil de entender." (página 7)
Ele desde que começou a entender o mínimo da sua vida (e continua entendendo pouco dela), passou a buscar respostas, mas todas as tentativas foram falhas. E vivendo a vida dos outros, com o passar do tempo A, foi criando algumas regras de "Sobrevivência". A principal delas era que ele não podia interferir na vida da pessoa em que ele estava.

Mas essa regra muda, quando ele habita o corpo de Justin, um menino desajeitado, anda sempre de mal humor, não se importa com ninguém, nem com ele mesmo e que tem um bela namorada chamada Rhiannon. E o que acontece, vocês já devem saber. Isso mesmo A, se apaixona por Rhiannon, que é sempre maltratada pelo seu namorado, mas ainda tem esperança que o mesmo melhore. E neste dia, A faz coisas que vão contra as suas regras de não interferir na vida das pessoas, ele leva Rhiannon a lugares que Justin nunca a levara, fala coisas que Justin nunca falou, pois ele quer proporcionar a ela o melhor dia de sua vida, o que a faz ficar com uma "pulga atrás da orelha".

A, fica completamente apaixonado por Rhiannon, o que dá pra ver com a sua "Quebra de Rotina" e quer todos os dias se encontrar com ela em corpos diferente, interferindo mais ainda na vida de quem está habitando no dia, mas aí surge a principal questão do livro: "Será que Rhiannon o aceitará como ele é?", esta principal questão, também é a principal reflexão, a aceitação, Levithan nos faz refletir muito com isso, a definição do gênero e sexo e também a esperança, de que em tudo há uma salvação.
"As pessoas não dão valor à continuidade do amor, assim como não dão valor à continuidade do corpo. Não percebem que a melhor coisa sobre o amor é a sua presença constante. assim que você estabelece isso, sua vida ganha uma base extra. Mas se você não pode ter essa presença constante, só tem uma base para sustentá-lo, sempre" (página 53)
Uma das minhas partes preferidas, é quando A, habita o corpo de um drogado, e o autor descreve a luta dele contra o corpo, tendo uma grande crise de abstinência, e mesmo assim A, luta para conseguir permanecer no quarto, sem se drogar até o anoitecer, e o corpo faz umas reações muito bem escritas, afinal o livro inteiro é assim, muito bem escrito, e acredite, você não vai perder seu tempo..

Quase no final do livro, David, nos dá uma esperança que A, resolverá seu problema, mas acaba deixando ela de lado, o que nos faz pensar que terá continuação, porém nada foi declarado pelo autor e é bem improvável que isto aconteça, o que é uma pena.

Mas nada me interferiu a gostar e amar "Todo Dia", que tem uma premissa diferente dos demais livros, uma obra espetacular, que merece ser lida, relida e reconhecida por todos. Espero que tenham gostado e que tentem ler, para quem ainda não leu.



3 comentários:

  1. Olááá
    Assim como você, também fiquei apaixonada por esse maravilhoso livro, ainda quero reler milhares de vezes, se tornou um dos meus favoritos, David mandou muito bem kkk
    Ótima resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/10/resenha-desnamorados-varios-autores.html

    ResponderExcluir
  2. Achei interessante a ideia de ter um corpo novo todo dia. Interessante e intrigante. Não sei se gostaria disso.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Achei bem incrivel esta historia!A historia e bem surpreendente e diferente
    Principalmente diferente, esta historia de esta ''alma'' ou ''ser humano'' sendo
    varias pessoas diferentes, com serie de caracteristicas seja magro, gordo, alto, baixo etc
    Realmente este A realmente vai fica bastante cunfuso por ir em corpo de garoto
    de personalidade muuuito largada !

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!