[Resenha] A culpa é das estrelas - @intrinseca

21 abril 2014

Nome: A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Páginas: 228
ISBN: 9788580572261
Editora: Intrínseca  
Ano de lançamento: 2012
Comprar: Saraiva
A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Antes de ler a resenha reflita se você quer realmente relevar a opinião de outra pessoa antes de ler o livro. É apenas o conselho de quem pegou-o sem saber nada sobre, e que adorou que tenha sido assim. Esqueça também os comentários destrutivos a respeito dele, formule seu próprio conceito.

Comecei a leitura dois anos depois do lançamento, com adaptação cinematográfica com data de estreia marcada. Mas ao assistir o trailer, deixei meus preconceitos de lado e encarei a leitura. O ponto de vista é de Hazel Grace Lancaster que graças a um novo tratamento contra o câncer, prolongou sua vida de "paciente terminal" . Pode-se dizer que ela era uma adolescente triste e que tem uma vida solitária e com poucas atividades, sempre carregando seu cilindro de oxigênio, Felipe, para auxiliar seus pulmões fracos.

Mas sua vida passa a mudar em uma das reuniões do Grupo de Apoio, onde encontra Augustus Waters, que teve câncer ósseo e teve uma de suas pernas amputadas.  
"Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra."  - Hazel Grace 
A medida que se conhecem melhor, compartilham segredos, superam suas impossibilidades físicas, descobrem coisas juntos, viajam, realizam sonhos, têm seu livro favorito o qual discutem o tempo todo. Enfim, descobrem o amor em sua forma mais pura, mais bonita, mais cativante.

A partir do amor entre esse dois pacientes terminais, tantas lições são dadas... Mas sem nunca ser moralista ou deixando de mostrar o quão complicada e restrita é a vida de quem enfrenta o câncer.
" Esse é o problema da dor - o Augustus disse, e aí olhou para mim -  Ela precisa ser sentida"
As pesquisas do Green, o humor  inovador, o drama ácido, levaram A culpa é das estrelas a vários níveis, mas acima de tudo, criou bordões ( 'Isso é uma metáfora' ou 'Eu tenho medo de ser esquecido') e  ensinou a muitas pessoas que o amor quebra barreiras, e porque não devemos esquecê-lo.


3 comentários:

  1. Oi Mylane!
    Acabei de ler esse livro hoje a tarde e é bom encontrar alguém que assim como eu não participou de todo o boom do livro na época. Meu interesse por esse livro surgiu depois de ler 'Quem é você, Alasca?' porque fiquei encantada com a forma que o autor escreve. Confesso que ao sair o trailer da adaptação também fiquei motivada.
    Concordo que o livro deixa lições sem utilizar do moralismo. E acho que o que encanta na história é que mesmo com toda a atmosfera triste, devido ao estado de saúde dos personagens, ainda é possível rir e se apaixonar pela forma como eles lidam com tudo e desenvolvem seus afetos.
    Beijos
    Espero sua visita =)
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oii!
    Achei incrível esse livro, li algumas frases várias vezes, depois li tudo de novo porque achei muito boa a história.
    Espero que o filme seja tão bom quanto o livro... vamos aguardar.

    beijos.
    Espero sua visita.
    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu amei ACEDE, então sempre estou vendo algo em relação ao livro, por isso vim ler essa resenha, eu gostei dela, está bem feita e mesmo que esteja pequena, ela está ótima *-*
    Quanto ao livro, bom, como eu disse eu amei, e um dos motivos foi que eu não li durante a febre ACEDE, eu li antes de todo mundo ficar falando aos quatro ventos coisas sobre o livro, ou seja, li sem ter nenhuma expectativa e me surpreendi, como não tinha lido nada sobre adolescentes com câncer, eu fiquei surpresa com esse livro, me emocionei muito e sei que se ler novamente sentirei os mesmos sentimentos de quanto li pela primeira vez. Enfim, é um livro que eu recomendo para todos, mas aviso que criar expectativas demais estraga qualquer coisa e o livro ACEDE não é diferente. Bom, agora só esperarmos pelo filme oo/

    Beijos :*
    Larissa - Srta. Bookaholic

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!