[Resenha] O Morro dos Ventos Uivantes - @EditoraLeya

11 dezembro 2011


Nome: O morro dos ventos uivantes
Autor(a): Emily Bronte
Páginas: 292
ISBN: 9788563066022
Editora: Lua de papel - Ano de lançamento: 2009

Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. "Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff", diz a apaixonada Cathy. O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais surpreendentes de todos os tempos, O Morro dos Ventos Uivantes é um clássico da literatura inglesa e tornou-se o livro favorito de milhares de pessoas, incluindo os belos personagens de Stephenie Meyer.


O Morro dos Ventos Uivantes  Meu livro preferido!, de Emily Brontë, é um clássico da literatura estrangeira ambientado na Yorkshire, interior da Inglaterra, do século XVIII e conta a história de duas famílias, Linton e Earnshaw, cujos destinos se entrelaçam pela paixão e pelo ódio.

A história é narrada por Nelly, mulher que veio a ser governanta das duas famílias. E ela conta que, retornando de uma viagem, o Sr. Earnshaw trouxe consigo um garoto ao qual deu o nome de Heathcliff.      
Hindley (o filho mais velho), enciumado, destestou-o à primeira vista. Ao contrário de Cathy (filha mais nova), que mais tarde vem a se apaixonar por ele. Mas, com a morte do Sr. Earnshaw, Hindley faz de Heathcliff um criado maltratado, proibindo-o até de frequentar a igreja e a escola.

Certo dia, Heathcliff ouviu uma conversa entre Cathy e Nelly, na qual Cathy dizia não estar disposta a viver a seu lado como mendiga e que se casaria, então, com Linton, um rapaz rico e bonito da região. Transtornado, fugiu e deixou de ouvir o que vem a ser uma das mais belas passagens da literatura.



“Minhas grandes infelicidades neste mundo têm sido as infelicidades de
Heathcliff. Aguardei-as e senti-as todas desde sua origem. É ele a minha
grande razão de viver. Se tudo perecesse, mas ele ficasse, eu continuaria a
existir. E, se tudo permanecesse e ele fosse aniquilado, o mundo inteiro se
tornaria para mim uma coisa totalmente estranha. Eu não seria mais parte desse
mundo. Meu amor por Linton é como a folhagem dos bosques: o tempo o
transformará...Meu amor por Heathcliff assemelha-se aos rochedos imotos que
jazem por baixo do sole: fonte de alegria pouco aparente mas necessária. Nelly,
eu sou Heathcliff.”

Anos mais tarde, Heathcliff retorna rico, inescrupuloso e vingativo. Não contarei a história a partir daqui, mas digo que é quando ela se torna ainda mais envolvente.

O Morro dos Ventos Uivantes é uma narrativa fascinante, cheia de sentimentos profundos e emoções fortes, tanto que ganhou muitas versões cinematograficas  e é devido a trechos como o citado acima que os nomes de Cathy e Heathcliff aparecem ao lado de casais como Romeu e Julieta, ou Elizabeth Bennet e Sr. Darcy.

Há quem inicie a leitura desse romance esperando por uma linda história de amor, mas eu não o classificaria exatamente dessa forma. O Morro dos Ventos Uivantes é, sim, uma história de amor, mas é também, sobretudo, uma história de egoísmo, ódio e vingança. O tipo de livro que não se pode morrer antes ler.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!